Secretaria de Educação antecipa o término do ano letivo das escolas de várzea

Ao todo, são 26 escolas funcionando nas áreas de várzea com um calendário elaborado de acordo com o ritmo das águas do Rio Amazonas.

Secretaria de Educação antecipa o término do ano letivo das escolas de várzea Foto: Sebastião Torres Notícia do dia 07/03/2019

A secretaria municipal de educação antecipou para o dia 30 de abril o término do ano letivo das escolas da área de várzea. A decisão foi tomada em reunião realizada pelo secretário de educação João Costa no último sábado (02) no auditório Dom Arcângelo Cerqua com os gestores, coordenadores e professores das escolas unidocentes da zona rural do município.

 

De acordo com o calendário escolar de várzea, o ano letivo terminaria no dia 03 de maio, mas com a possibilidade de uma grande enchente a Secretaria de Educação antecipou o término sem prejuízo de dias letivos e carga horária para os alunos desses educandários. Os três dias referentes ao mês de maio serão repostos nos sábados.

 

Ao todo, são 26 escolas funcionando nas áreas de várzea com um calendário elaborado de acordo com o ritmo das águas do Rio Amazonas. E, nesse período de enchente, é muito comum as localidades ficarem submersas e também o aparecimento de cobras, jacarés e outros animais que podem colocar em risco a vida dos alunos.

 

“Convocamos essa reunião com os gestores para tratarmos de assuntos relacionados à enchente deste ano. Estamos seguindo as orientações do prefeito Bi Garcia, analisando caso a caso, pois sabemos que em algumas áreas a água alaga mais depressa e em outras isso não acontece. Ouvir os gestores, coordenadores e professores, é fundamental para tomarmos uma decisão em comum acordo com todos sem prejuízos de dias letivos e carga horária estabelecida por lei sobre a educação municipal”, destacou o secretário João Costa.

 

O gestor da escola municipal Pedro Reis Ferreira, da comunidade Paraná do Espírito Santo do Meio, professor Osmael da Silva, avaliou como positiva a reunião e destaca que cada gestor pôde apresentar a situação de cada escola ao secretário para medidas em torno da enchente que pode ocorrer este ano.

 

"As possíveis mudanças são plausíveis, visto que a Defesa Civil está alertando para uma possível cheia grande. Então, a Semed já começa a ter essa preocupação, pois se nós deixarmos para depois, a cheia pode nos surpreender. Com isso, a secretaria já está se adiantando junto com o Conselho Municipal de Educação para viabilizar a logística para continuidade do ano letivo da área de várzea”, disse o professor Osmael.

 

De acordo com a gerente de ensino e apoio técnico pedagógico da Secretaria de Educação, Walda Maciel, foram repassados aos gestores, coordenadores e professores orientações sobre recuperação paralela dos alunos e entrega de documentação escolar na Secretaria de Educação. Para o ano letivo de 2019, a Semed estuda a possibilidade de iniciar as aulas em julho para que em 2020 as aulas terminem mais cedo. No entanto, essa é uma mudança que será discutida em outra reunião.