• Acessibilidade
  • A-
  • A
  • A+

Unidade de urgência e emergência pré-hospitalar do Bumbódromo completa 1 ano de atividade

Notícia do dia 12/01/2022
Unidade de urgência e emergência pré-hospitalar do Bumbódromo completa 1 ano de atividade

A unidade de urgência e emergência pré-hospitalar do Bumbódromo completa um ano de atividade neste dia 11 de janeiro. No período, foram aproximadamente 50 mil atendimentos realizados na unidade que funciona de domingo a domingo de 7 às 23 horas. Dos 50 mil atendimentos, foram mais de 100 mil procedimentos a população no trabalho que serviu também para desafogar a carga dos hospitais do município, principalmente no período de maior impacto da pandemia da covid-19.

 

O trabalho de atendimento pré-hospitalar foi uma recomendação do prefeito Bi Garcia ao secretário de saúde Clerton Rodrigues no momento em que os números da pandemia estavam em amplo crescimento.

 

De acordo com a diretora da unidade, enfermeira Samantha Sampaio, o serviço realizado foi bastante resolutivo até pelos números demonstrados após um ano. Ela lembrou que pacientes com síndromes respiratórias e gripais também são atendidos normalmente.

 

"Conseguimos ajudar os hospitais naquele momento crítico e ao longo deste ano. Hoje já estamos com mais de 3.000 procedimentos realizados em menos de duas semanas de 2022", ressaltou Samantha.

 

 Sampaio lembrou também que é importante a compreensão da população para a prioridade de atendimento que vai do paciente mais grave para o menos grave. "Para que a população entenda, se a gente receber um paciente com pressão alta com suposto infarto, nós vamos dar toda prioridade a esse caso e depois retomamos a fila de atendimento normalmente", explicou.

 

O Secretário de saúde Clerton Rodrigues Florêncio ressaltou a estrutura de saúde montada como forma de desafogar a demanda no hospital Jofre Cohen. "O trabalho prossegue para proporcionar a população de Parintins atendimento em saúde com a maior qualidade possivelmente neste período delicada que ainda vivemos na Pandemia da Covid-19", salientou.